Você existe on line?

Você existe on line?

Como a maioria das pessoas com acesso à internet, você certamente já teve curiosidade de digitar seu nome no Google para ver onde e como você é mencionado. Pode ter a satisfação de perceber que seu nome está em muitos lugares, com menções profissionais honrosas, ou pode descobrir que você praticamente não existe no mundo online – nas raras vezes em que é citado, é sempre em tópicos irrelevantes.

Como isso ocorre? Em primeiro lugar, o resultado no Google – qualquer que seja ele – é fruto unicamente do que você quis construir como sua imagem, como sua persona, termo da psicologia que se traduz como o jeito como desejo que os outros me percebam.

O segundo ponto é que você pode ampliar consistentemente sua presença online com ações simples focadas em personal branding.

Antes de mais nada, você precisa definir três ingredientes, que são as suas marcas pessoais:

1. Que apito você toca. Como você quer ser reconhecido? Pense nas ideias-chave que você gostaria de ver associadas a você.

2. Expertise. Toda marca de sucesso envolve a noção de expertise em alguma coisa. Você precisa criar a percepção de que você é muito bom naquilo que faz. Em outras palavras, faça marketing das suas qualidades profissionais.

3. Seu estilo. Não é tanto o que você comunica sobre você, mas sim como o faz. O seu estilo é despojado e criativo, ou elegante e envolvente, ou entusiástico e empreendedor? Seu estilo de fazer as coisas deve ser único, muito pessoal, criando uma espécie de marca registrada.

Depois disso, são as táticas. Considero duas as mais básicas e fundamentais:

1. Estabeleça um perfil no LinkedIn. A mais renomada rede profissional não é apenas um espaço qualificado para você exibir seu currículo, como alguns pensam. É muito mais do que isso. Identifique e associe-se a grupos de pessoas com interesses profissionais comuns. Acompanhe as discussões que rolam nos grupos, e participe do debate fazendo comentários. Inicie discussões sobre tópicos interessantes e/ou controversos, que ajudem a construir melhores práticas. Conecte-se a membros selecionados desses grupos. Procure também pessoas com quem já trabalhou ou estudou.

2. Crie um blog profissional. Pode ser que você seja um consultor independente ou empresa pequenininha, e pense que não tem um portfólio de clientes ou serviços que justifique um site. Então monte um blog para abordar assuntos da sua área de atuação e, com isso, firmar sua opinião. Potenciais clientes ou parceiros interessados em fazer negócios com você terão uma amostra da sua visão de mundo. No blog, não se esqueça de colocar link para seus perfis no LinkedIn, Twitter, Facebook etc., deixando de fora coisas mais pessoais como Orkut.

Com pelo menos isso, você já passa a “existir”. Vale lembrar que, hoje, se você vai contratar algum profissional ou empresa, a primeira providência é checar no Google o que dizem a respeito dele. É uma espécie de “referência virtual”. Muitas citações relevantes conferem uma maior credibilidade. Claro, não é só porque o profissional tem um belo site que será considerado bom, da mesma forma que existem milhares de outros profissionais excelentes que não aparecem nos radares do Google. Mas, em uma época em que praticamente tudo se dá online, estar na web pode ajudar a firmar seu personal branding.

Fonte: Portal Exame

Baixe Meu Checklist SEO

Este post tem um comentário

  1. Pingback: Tweets that mention Você existe online? -- Topsy.com

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.